RicBrSp ocupando uns bytes na web2

Neste blog comento notícias, política, coisas da vida (eletrônica ou digital), redes sociais, fotos, vídeos, música e etc., palpito de tudo um pouco, com meus textos, pensamentos, e crônicas.      

 http://www.facebook.com/ricbrsp        https://twitter.com/RicBrSp

http://ricbrsp.wordpress.com/           www.gazzag.com/ricbrsp 

http://www.myspace.com/ricbrsp         http://ricbrsp.hi5.com/

 

Visitantes

16 março, 2009

Violência contra a mulher – Manifesto do Conselho Estadual

Recebi por e-mail da Ritinha.

A violência contra a mulher não é só física, socos, ponta pés, tapas, safanões, cadeiradas, facadas, tiros, esganamentos, e toda sorte de maus tratos.

Tem gente q usa caneta, ou computador para da mesma forma baixa e vil, agredir a mulher, com outra forma de violência, não física, a moral, a psicológica, a cívica, todas esganadas, vilipendiadas, estupradas pela violência do preconceito.

O poder Judiciário, através de seu aparato Estadual, vem praticando violência contra a mulher indefesa, num ato de covardia tresloucada, quando seus membros encarregados de representar o Poder do Estado, e distribuir os direitos, subtrai os mesmos da mulher.

No manifesto do Conselho Estadual da mulher em anexo - https://cid-893bfd38051a572b.skydrive.live.com/self.aspx/Documentos/Manifesto%20do%20Conselho%20Estadual%20das%20Mulheres%20pdf.pdf

É mostrado um caso assim.

Não é um caso isolado, mas sim um retrato do Poder Judiciário Nacional.

Lembrando muito o caso da excomunhão, onde quem salvou a vida da menina de 9 anos, grávida de gêmeos, agiu certo foi excomungado, e quem foi o pedófilo autor de todo mal, não teve a mesma sorte, muito pelo contrário a complacência…

Tipo “estupra, mas não mata”, conforme entrevista do Paulo Maluf, ou, “relaxa e goza”, da Marta exSuplicy.

A mulher apanhou do marido, ai quando foi procurar o socorro dos seus direitos no juiz, ficou sem seus direitos, muito pelo contrário, as mentiras do marido violento, sem provas, colaram, e a coitada foi novamente espancada, agora pelo juiz, perdeu a grada dos filhos, teve q sair de casa, foi considerada a causadora da separação, e condenada por isto.

Mesmo que se corrija o erro judiciário grosseiro, movido pelo preconceito de sexo, o mal já foi feito contra ela, a violência da caneta do juiz já arrasou a moça, q vive como condenada, sem seus filhos, sem pensão, sem sustento da dona d casa, nem p/ comprar os remédios p/ curar as feridas da violência do ex marido.

Só que esta segunda porrada, ninguém vai pagar por isto, o ex marido violento, um dia a justiça será feita, e pagará pelos socos, assim espero, mas a impunidade dos juízes???

Até quando vão errar, e não pagar pelos erros cometidos?

Um motorista, se errar, bate, e paga pelo seu erro, na empresa dona do carro, ou caminhão.

Se o caixa do banco errar no fechamento do caixa, ele paga do bolso.

Geralmente todos pagam pelos erros profissionais, menos os juízes, e muitos médicos protegidos pelo corporativismo da classe.

Juiz erra e sempre fica por isto mesmo, ninguém paga por isto, muito menos ele, desde que o Brasil é grafado c/ “b”.

O único Juiz preso até hoje no Brasil, foi Lalau, foi condenado por corrupção, não por atos como juiz, fico na esperança que o Mazlum da Justiça Federal, q vendia decisões, seja condenado pelos atos como juiz vendedor de sentenças, que será o primeiro e único na história do país, quando vier a acontecer, se é que vai acontecer…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é fundamental p/ mim, até p/ ter a noção das barbaridades que escrevo. rs.....