RicBrSp ocupando uns bytes na web2

Neste blog comento notícias, política, coisas da vida (eletrônica ou digital), redes sociais, fotos, vídeos, música e etc., palpito de tudo um pouco, com meus textos, pensamentos, e crônicas.      

 http://www.facebook.com/ricbrsp        https://twitter.com/RicBrSp

http://ricbrsp.wordpress.com/           www.gazzag.com/ricbrsp 

http://www.myspace.com/ricbrsp         http://ricbrsp.hi5.com/

 

Visitantes

28 julho, 2011

Violência na vida real e vídeo games….

Outro dia estava meditando sobre até onde os vídeo games podem influenciar no comportamento do jogador na vida real?

Fazendo uma comparação direta com os jogos do facebook, como FarmVille, CityVille, e etc...

Nestes citados jogos, q não são violentos, o jogador compra terreno no mar, só água e vc paga no dinheiro do jogo, derruba árvores p/ poder expandir, tudo tem q pedir p/ os parceiros de jogo, pede o dia inteiro parece um mendigo eletrônico, todo dia, numa repetição sem fim, e estes jogos então está criando uma geração de estelionatários q vendem terreno no mar....., criando devastadores da floresta p/ poder plantar mais, ou criar mais animais....., pelo visto os vídeo games, todos tem defeitos semelhantes como os de violência, que alegam influenciar os malucos q saem por ai fazendo barbaridades, q dizem q jogaram um tal jogo famoso na internet.... muitos destes só foram iniciantes (noob) no game, só levaram bala, e não matou ninguém.

Lembro do simulador de vôo on line, Air Combat, fui derrubado todas as vezes, e derrubei só um ou dois aviões inimigos, isto é, só levei chumbo por quase um mês, até pegar o jeito do jogo. Era só entrar no mundo virtual do combate q já levava tiro.

Sou jogador de vídeo game faz muito tempo, foi por isto q aprendi a usar computador, no tempo em q o MS DOS era o sistema operacional, e nestes anos todos (+ d 1 década) não sai matando ninguém na rua, nem atropelando com meu carro, nem atirando nas pessoas e etc....

Entre os usuários de vídeo games sou um dos muito experientes de tantos q já joguei, e por muito anos seguidos, quase sem interrupção dos anos 90, até hoje. Todos os pcs q usei sempre tiveram vários jogos. Geralmente as últimas novidades em games.

Lembro do tempo do DOS 5, que veio um pacote de games incríveis junto com instalação do sistema operacional, com mais de 100 jogos, alguns eu nem joguei até hoje. Veio em revista  CD room só de jogos, um deles uso até hj, apesar de que 90% dos games são p/ DOS.

Usando windows 7 fiquei prejudicado na maioria dos games q gosto, não há suporte (emulação) p/ rodar 90% deles, nem os da própria microsoft como Age of Empire, não rodam no sistema operacional, só fazendo um malabarismo eletrônico, mas q nem assim consegui fazer o meu rodar.

Meus filhos no final da adolescência, tmb são de uma geração toda em contato com vídeo games, nem por isto, não saíram por ai detonando.

Nem tudo é jogo, pois há também, uma vida virtual em paralela a esta real, q vivemos na web através dos nossos perfis, avatares, nos sites de relacionamento e etc..

Há um mundo virtual, uma vida virtual, num planeta (terras) virtual, ou eletrônicas, isto é,  há o metaverso, uma vida completamente virtual, como no Second Life, em que as pessoas tem o corpo que quer, a casa, as coisas, as roupas e etc...., que só existem neste outro mundo virtual, e n ão é jogo, é uma vida virtual, a vida do usuário nesta realidade paralela.

Da mesma sorte a grande maioria dos jogadores de vídeo games, como os usuários do metaverso, não repetem seu comportamento virtual na vida real.

Uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa, como já dizia o velho deitado chinês.

Servindo estes comentário do seguinte vídeo do amigo Daniel:

Sobre o projeto de Lei 170/2006, que torna crime jogar, portar, vender jogos violentos no Brasil, leia mais sobre isto em http://www1.folha.uol.com.br/tec/941088-projeto-de-lei-preve-criminalizar-games-ofensivos.shtml